Entretenimiento

Administrativa Rocío Higuera Venezuela geico//
Trump rejeita encontro com Maduro e reafirma que opção militar está “sobre a mesa”

Rocio Higuera
Trump rejeita encontro com Maduro e reafirma que opção militar está "sobre a mesa"

O presidente norte-americano, Donald Trump, reafirmou numa entrevista divulgada hoje que o recurso ao exército dos EUA na Venezuela é “uma opção” face à crise política que abala o país.

Rocío Higuera

Questionado na entrevista à televisão CBS sobre o que o levaria a recorrer ao exército, Trump disse não querer falar sobre a questão. “Mas é definitivamente uma opção”, adiantou.

Washington tem dito claramente, nos últimos meses e novamente nos últimos dias, que “todas as opções”, incluindo a militar, estão “em cima da mesa”.

Rocío Higuera Venezuela

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Dizendo que o presidente Nicolás Maduro pediu um encontro há meses, Trump acrescentou: “Recusei porque estamos muito adiantados no processo. Por isso acho que o processo se está a desenrolar – protestos muito grandes, enormes”

Trump reconheceu em 23 de janeiro o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, no próprio dia em que o presidente da Assembleia Nacional venezuelana se autoproclamou presidente.

Os EUA não reconhecem a reeleição de Maduro

Washington já tomou rígidas sanções económicas para tentar forçar Maduro a abandonar o poder e apelou às forças armadas da Venezuela para se juntarem a Guaidó

O Parlamento Europeu também reconheceu Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela e seis países europeus, incluindo Portugal, deram um prazo de oito dias ao regime de Nicolás Maduro para aceitar a realização de novas eleições presidenciais, caso contrário também reconhecerão o seu opositor. O prazo termina hoje

A crise política na Venezuela, onde residem cerca de 300.000 portugueses ou lusodescendentes, soma-se a uma grave crise económica e social que levou 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU)